Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Mundo’ Category

Fonte: Prazer da Palavra
Data: 10/10/2011

O Centro Americano pela Lei e pela Justiça (American Center for Law and Justice — ACLL), que está acompanhando o destino do pastor Youcef Nadarkhani informou, nesta segunda-feira (10/10/2011), que supõe que ele ainda esteja livre.

O Tribunal Estadual de Gilan, que recentemente exigiu que o pastor Christian Youcef Nadarkhani negasse sua fé ou fosse enforcado, adiou sua decisão formal. Os juízes remeteram o caso para o líder supremo do Irã, o aiatolá Khamenei. Segundo o advogado de Youcef, Mohammad Ali Dadkhah, “o tribunal decidiu pedir a opinião do Sr. (Ali) Khamenei.” Khamenei é um jurista islâmico e o árbitro final nas questões da “sharia”, a lei religiosa do país. No Irã, ele é visto como um guardião protetor.

Ainda segundo o ACLL, o incomum envolvimento do líder mais poderoso da nação neste caso demonstra que o Irã está sentindo a pressão. “Podemos estar certos que, se as mentiras espalhadas pelo Irã fossem verdadeiras

Anúncios

Read Full Post »

Fonte: JMM
Data: 10/10/2011

 

O pastor Yousef Nadarkhani, que foi preso e inicialmente condenado à morte por apostasia, recusando-se a renunciar à sua fé em Jesus, está correndo um perigo ainda maior de enfrentar a sentença de morte após receber novas acusações, incluindo a de ser sionista e uma ameaça à segurança nacional.

“Ele foi acusado de ser sionista e, portanto, um traidor; esta acusação é considerada das mais graves no Irã”, disse Jordan Sekulow, diretor executivo do Centro Americano de Direito e Justiça (ACLJ).

“Infelizmente nós sabemos que essas novas acusações que o pastor Yousef recebeu podem justificar a sua execução”, completou Jordan.

Em uma decisão do Supremo Tribunal do Irã, Nadarkhani foi condenado à execução por enforcamento, porque quebrou a lei islâmica, realizou cultos cristãos e batizou outras pessoas.

Em nenhum lugar dos relatórios relacionados ao caso existe a menção sobre as novas acusações que o pastor está recebendo. Mohammed Ali Dadkhah, advogado de Usoef, diz que o pastor não recebeu nenhuma dessas novas acusações informadas.

“As informações sobre essas novas acusações vêm de um ramo político, e não de uma figura judicial, um promotor ou de um membro do tribunal. A Justiça do Irã não fez novas acusações contra ele”, disse Dadkah.

Read Full Post »

Fonte: MidiaGospel

 

Pastor Cristão Evangélico, Youcef Nadarkhani, de 33 anos de idade, que se tornou cristão aos 19 anos, é membro da Igreja do Irã ministério e pastor de uma congregação de 400 pessoas aproximadamente, na cidade de Rasht. Apesar de ser condenado à morte por apostasia, nenhum artigo no código legal iraniano referem-se a tal crime.

“É o ponto mais baixo de todo o sistema judicial para sentenciar à morte uma pessoa fora do seu próprio ordenamento jurídico”, disse Aaron Rhodes, porta-voz da Campanha.

“Para executar alguém com base na religião que eles escolhem para a prática ou não prática é a última forma de discriminação religiosa e desprezo pela liberdade de consciência e de crença”, acrescentou Rhodes.

O Tribunal Criminal do 11 º Circuito de Apelações para a Província Gilan confirmou a sentença de morte e condenação de Youcef Nadarkhani para a apostasia.

Apostasia, o ato de renunciar a religião de alguém, não é um crime contra o Código Penal Islâmico do Irã. Em vez disso, o juiz-presidente no caso Nadarkhani descansava a sua opinião sobre textos de estudiosos da religião iraniana.

Segundo o acórdão, Nadarkhani nasceu de pais muçulmanos, mas se converteu ao cristianismo aos 19 anos. A sentença declarou que durante os interrogatórios Nadarkhani fez uma confissão escrita de admitir que deixou o islamismo para o cristianismo. Mas em seu julgamento, Nadarkhani disse a seus interrogadores pressionou-lo a fazer a declaração.

“Eu não sou um apóstata … antes de 19 anos de idade eu não aceitar qualquer religião”, disse Nadarkhani no julgamento. Depois de repetidos questionamentos, “meu interrogador coaxed me [a pensar] que uma pessoa que é filho de pais muçulmanos, e não aceitar outra religião que não o Islã antes de atingir a idade de maturidade religiosa [15 para o sexo masculino], é automaticamente um muçulmano.”

Read Full Post »

Fonte: Portas Abertas

 

Pelo menos 70 cristãos evangélicos da região centro-leste do México foram expulsos pelas autoridades locais do local onde moram, região na qual moram muitos católicos tradicionais que, supostamente, ameaçaram crucificá-los e linchá-los.

Inicialmente, cerca de 50 famílias de cristãos protestantes foram obrigadas a deixar a vila em 12 de setembro, mas alguns foram autorizados a permanecer, sob a condição de fazer seus cultos fora da aldeia. Além disso, não podem evangelizar os católicos tradicionais da região, os quais praticam uma mistura de rituais indígenas e católicos.

http://www.MidiaGospel.Com.br.br / http://www.estudosgospel.com.br / http://www.centraldepregadores.com.br
.

O governo de Puebla se curvou diante da pressão e das exigências dos católicos tradicionais da aldeia de San Rafael Tlanalapan, a cerca de 100 quilômetros da capital, conforme informou o jornal La Jornada de Oriente.

Testemunhas disseram ter visto diversos evangélicos, incluindo um pastor, fazendo suas malas e ajuntando rapidamente seus pertences para partir. Segundo informações, isso aconteceu porque os católicos tradicionais da região disseram que iam “crucificá-los ou linchá-los”, caso eles não fossem embora após a determinação feita no dia 12 de setembro.

O prefeito da região colaborou com as expulsões dos cristãos, receoso de perder seu cargo, após a pressão dos católicos. A católica Irma Diaz Perez informou a decisão tomada: “Eles nunca mais vão voltar, pois nós temos leis contra eles e eles não têm permissão para ficar aqui”.

A perseguição contra os evangélicos no México não é atual. Em um caso, cristãos evangélicos foram proibidos de ter acesso a água. Alguns funcionários também relataram ataques contra famílias evangélicas em anos anteriores.

Tudo isso ocorre porque o México é um país tradicionalmente católico. Dessa forma, muitos evangélicos são detidos por crimes que não cometeram.

Read Full Post »

Fonte: Portas Abertas
Data: 16/09/2011

 

Extremistas muçulmanos enviaram mensagens de texto para pelo menos 10 líderes de igrejas em Cartum, dizendo que estão planejando atacar os líderes cristãos, edifícios e instituições, disseram fontes cristãs em Cartum.

“Queremos que este país seja puramente islâmico, por isso devemos matar os infiéis e destruir suas igrejas em todo o Sudão”, diz uma mensagem de texto que circula por Cartum desde o mês passado. As mensagens foram enviadas em julho e agosto.

Os líderes da Igreja disseram temer mais perseguições, pois eles e seus membros tornaram-se alvos islâmicos. Além disso, extremistas islâmicos do Paquistão, Afeganistão e Bangladesh chegam ao país a cada duas semanas, para passar por treinamentos em campos secretos em Cartum, antes de ser enviados por todo o país para destruir templos cristãos.

Em 18 de julho, um grupo de extremistas atacou uma casa da Igreja Anglicana do Sudão, do bispo Andudu Adam, numa tentativa de matá-lo e também mais dois pastores, Lika Bulus e Thomas Youhana. Ninguém ficou ferido após o ataque, mas os criminosos deixaram uma carta ameaçadora para alertá-los de ataques semelhantes.

“Estamos cientes de suas atividades anti-islâmicas”, dizia a carta deixada na porta da casa do Bispo Elnail. “Temos olhado e acompanhado a evangelização que vocês fazem todos os dias e, portanto, declaramos jihad contra vocês.”

A carta deixada no portão da casa do bispo afirma que o Sudão é uma terra islâmica e que os autores planejam secretamente realizar uma série de ataques para destruir os edifícios da igreja.

“Nós declaramos jihad contra vocês, a fim de proteger os muçulmanos de sua influência infiel, porque vocês são inimigos do Islã”, afirma a carta. Fontes cristãs em Cartum disseram que as ameaças feitas são reais. “Essas pessoas não estão brincando: eles podem matar qualquer cristão”, disse um líder de igreja, que pediu anonimato por razões de segurança.

Hostilidades contra os cristãos começaram a aumentar após a declaração do presidente Omar al-Bashir, em que afirmou que sua república seria baseada na Sharia (lei islâmica) e na cultura islâmica, com o árabe como língua oficial.

Read Full Post »

Fonte: Portas Abertas
Data: 06/09/2011

O governo turco fez uma reviravolta histórica na política do Estado nesse fim de semana passado, emitindo um decreto oficial em que os cristãos da Turquia e as comunidades judaicas a reclamar suas propriedades confiscadas.

O decreto de sábado vem 75 anos depois de o governo turco ter apreendido centenas de terrenos e edifícios de propriedade de comunidades cristãs.

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou a decisão na noite desse domingo em Istambul, marcando um grande encontro com os não-muçulmanos e líderes religiosos. Eles foram convidados a participar da quebra do jejum no último dia do Ramadã.

Reconhecendo as injustiças sofridas no passado pelos diferentes grupos religiosos, ele prometeu: “Aqueles dias já acabaram. Em nosso país, nenhum cidadão é melhor do que outro.”

Em esclarecimento deliberado, o turco Ahmet Davutoglu, ministro das Relações Exteriores, ressaltou que a decisão formal do governo não foi uma gestão dirigida às minorias, mas o retorno dos direitos dos cristãos de ser legalmente iguais aos outros.

O decreto é um passo significativo para eliminar décadas de práticas desleais impostas pelo Estado turco contra os seus cidadãos não-muçulmanos.

Poucas horas depois do anúncio-surpresa, os conselhos das minorias religiosas começaram a rever a condição de suas propriedades confiscadas. As novas leis devem ser aplicadas dentro dos próximos 12 meses.

As propriedades incluem escolas, igrejas, cemitérios, lojas, hospitais, orfanatos, casas, edifícios de apartamentos e fábricas que foram apreendidas pelo Estado turco e registradas como propriedades públicas ou de fundações. A decisão de 1974 ainda havia proibido as comunidades não-muçulmanas de adquirir qualquer propriedade nova.

O novo decreto estabelece que os proprietários dos imóveis confiscados pelo Estado serão reembolsados com o valor do mercado. Segundo a mídia turca, o Ministério das Finanças irá determinar a compensação para as propriedades que foram vendidas a terceiros.

Read Full Post »

Fonte: Portas Abertas
Data: 12/09/2011

Uma freira católica e um padre foram violentamente atacados, quando tentavam obter de volta as duas propriedades de sua Igreja, que foram retiradas deles de modo ilegítimo e dadas a outros.

A última propriedade havia sido apreendida em Kungding, na província sudoeste de Sinchuan . Fontes locais disseram que a irmã Xie Yuming sofreu ferimentos na cabeça e no peito, por isso está no hospital. Padre Huang Yusong sofreu apenas ferimentos leves. Os dois foram atacados por uma dúzia de desconhecidos no último sábado.

Os dois líderes cristãos estavam tentando fazer valer os direitos das Igrejas sobre as duas propriedades confiscadas, que, formalmente, pertencem à diocese de Kangding. As propriedades estão entre inúmeros imóveis confiscados desde 1950.

Fontes disseram que o ataque contra os religiosos provocou grande indignação entre os fiéis locais, que se reuniram em um protesto em frente ao terreno da igreja, prometendo defender seus direitos.

A devolução das propriedades da Igreja que foram apreendidas pelo Estado após a chegada do modelo de governo de Mao Tse Tung é uma questão bem espinhosa. Em várias ocasiões, o governo central disse que elas deveriam ser devolvidas aos seus legítimos proprietários, mas alguns órgãos do governo se opuseram a essa decisão.

Em 2005, 16 freiras foram agredidas em Xian, quando tentavam receber de volta o terreno de uma de suas escolas. No mesmo ano, dezenas de padres receberam o mesmo tratamento na cidade de Tianjin.

Read Full Post »

Older Posts »

%d bloggers like this: